Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/05/21 às 10h58 - Atualizado em 6/05/21 às 11h16

TSE promove pesquisa para melhorar acessibilidade em páginas oficiais

COMPARTILHAR

Ação acontece após seminário promovido pela SEPD, com a participação de profissionais de comunicação do tribunal e outros órgãos

 

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) promove, até o próximo dia 12 de maio, uma pesquisa sobre acessibilidade em seus sites e redes sociais oficiais. O link para responder à enquete está no final da matéria.

 

O internauta que acessar à pesquisa responde um questionário onde avalia, por exemplo, a experiência ao navegar pelo site e relata se enfrentou problemas para encontrar uma informação. Além disso, ele informa se utiliza alguma tecnologia assistiva no dia-a-dia e avalia o software Rybená, utilizado pelo TSE. Também é possível sugerir melhorias para o site.

 

A coordenadora de redes sociais, campanhas e portais do TSE, Fábia Galvão, explica que o objetivo da pesquisa é “otimizar a distribuição de conteúdos, formatar, editar, rever linguagens”. “É uma grande revisão que a gente está fazendo para preparar nossos portais para as eleições de 2022”, assegura.

 

Ela destaca que o TSE tem uma comissão de acessibilidade, além de “políticas que permeiam todas as áreas do tribunal”. “A gente conta também com as descrições nas redes sociais e atualizamos sempre os nossos aplicativos. As melhorias não param”, garante.

 

SEPD ministra workshop sobre comunicação acessível

 

A ação do TSE veio após um workshop ministrado pela Secretaria da Pessoa com Deficiência do DF. No último dia 23 de abril, a equipe de comunicação do tribunal participou da atividade, cujo intuito foi capacitar profissionais de comunicação que trabalham com sites e redes sociais oficiais.

 

Na ocasião, os servidores Igor Carvalho e Higor Viana responderam às perguntas dos participantes sobre acessibilidade nos sites e redes sociais, com foco principal em pessoas com deficiência visual e autismo.

 

Fábia classifica o momento como “extremamente inspirador e esclarecedor”. “Foi uma oportunidade de melhoria para a gente, de deixar os nossos conteúdos das redes mais acessíveis e também de se colocar no lugar das outras pessoas, fazer esse exercício de empatia. O workshop está reverberando dentro da gente”, afirma. A atividade também contou com a participação de profissionais de comunicação da Câmara dos Deputados e do Senado Federal.

 

Segundo a jornalista, a acessibilidade no portal é importante para todas as instituições públicas. “A gente trabalha com a democracia, com o voto, com as eleições e todas as instâncias democráticas devem estar a serviço de todos, independente de quem são essas pessoas. Pessoas com deficiência precisam ter acesso porque isso também e democracia”, ressalta.

 

E a comunicadora crava: “Eu acho que não é mais possível pensar em comunicação pública sem acessibilidade. Ela é um denominador comum para que a gente consiga dar acesso, prestar serviços de dar transparência a todos nossos conteúdos e funções enquanto órgão público”.

 

Participe da pesquisa:

 

http://bit.ly/PesquisaPortaisJE_Acessibilidade

 

Comunicação SEPD