Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/02/21 às 14h19 - Atualizado em 1/02/21 às 14h48

Sites do GDF oferecem opções de acessibilidade para surdos

COMPARTILHAR

Software VLibras está disponível nas páginas oficiais de todas as Secretarias, Administrações Regionais e empresas públicas

 

O Governo do Distrito Federal deu mais um passo rumo à acessibilidade de comunicação. Na última semana, o software VLibras entrou em operação em todos os sites do GDF. O recurso está disponível nas páginas oficiais de Secretarias, Administrações Regionais e empresas públicas.

 

Isso significa que os textos contidos nesses sites podem ser traduzidos para a Língua Brasileira de Sinais (Libras). O serviço é feito por um intérprete virtual, acionado sempre que o usuário clica nas mãozinhas azuis que ficam do lado direto da tela do computador ou celular. Para a tradução começar, basta clicar com o cursor sobre o texto desejado.

 

O secretário da Pessoa com Deficiência do DF, Flávio Santos, destaca que a informação é um direito de todos. “Nossos sites trazem informações de interesse público. Todas as realizações do governo são divulgadas, primeiro, pelas mídias oficiais. Ter isso de forma acessível é uma excelente inciativa do GDF”, disse o gestor.

 

Língua Brasileira de Sinais

 

A Língua Brasileira de Sinais (Libras) não é uma versão sinalizada do Português. Isso faz com que determinados textos precisem de tradução, para uma melhor compreensão da comunidade surda.

 

“Libras e Português são bem diferentes”, assegura o professor de Libras e diretor de Acessibilidade Comunicacional da SEPD, Waldimar Carvalho, que é surdo. O docente explica que a Libras possui uma estrutura própria, bem diferente da Língua Portuguesa, o que pode ser visto em frases.

 

“Por exemplo, em português dizemos ‘você é lindo’. Já na Libras falamos ‘você lindo’, sem o ‘É’ acentuado. Outro caso: em português falamos ‘eu quero ir pra casa’, enquanto na Libras fica ‘vou casa'”, explicou. Mas as mudanças das frases em ambos os idiomas não se limitam a isso.

 

“Nas frases em português existe a pontuação, vírgulas, entre outros. Já na Libras essas pausas são representadas através da expressão facial”, ressaltou.

 

Para ele, é importante que os sites contem com tradução para Libras para que os surdos consigam compreender o sentido dos textos. “Existem, sim, surdos que entendem bem o português. Mas a grande maioria lê textos em Língua Portuguesa e não entendem muito bem. Então, quando esse conteúdo é adaptado para Libras, há uma compreensão mais clara por parte do surdo”, garante.

 

Ações da SEPD em prol da acessibilidade de comunicação

 

Uma das pautas prioritárias da Secretaria da Pessoa com Deficiência é a acessibilidade de comunicação. Na visão da pasta, a informação deve estar disponível da forma mais acessível para todos.

 

No dia 27 de novembro de 2020, a SEPD promoveu o primeiro encontro de comunicação acessível com assessorias de comunicação do GDF. Na oportunidade, profissionais da área tiveram alguns esclarecimentos sobre a importância de ferramentas e técnicas para garantir conteúdos com total acessibilidade para pessoas com deficiência.

Subtítulo: VLibras

 

O VLibras é resultado de uma parceria entre o Ministério da Economia (ME), por meio da Secretaria de Governo Digital (SGD) e a Universidade Federal da Paraíba (UFPB). O software é um conjunto de ferramentas computacionais de código aberto, que traduz conteúdos digitais (texto, áudio e vídeo) para Libras, tornando computadores, celulares e plataformas Web acessíveis para pessoas surdas.

 

Por Higor Viana