Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/06/21 às 10h20 - Atualizado em 30/06/21 às 13h27

Instituições de pessoas com deficiência têm voz e vez na SEPD

COMPARTILHAR

Em visita a duas associações, secretário Flávio Santos reforçou compromisso da pasta com o segmento.

 

No último sábado (26/06), duas instituições que atuam no segmento da pessoa com deficiência abriram suas portas para a Secretaria da Pessoa com Deficiência do DF. Flávio Santos, titular da pasta, visitou as entidades e reiterou o compromisso da SEPD com a política pública para o segmento.

 

A primeira parada foi no Movimento Habitacional e Cidadania da Pessoa com Deficiência (Mohciped). Sediada em Ceilândia Norte, a entidade atua junto à sociedade civil na política habitacional e passa por uma eleição interna.

 

O chefe da SEPD conheceu a nova diretoria da instituição durante um almoço. Os futuros representantes devem posse em seus respectivos cargos nas próximas semanas.

 

Em seguida, Flávio visitou a Associação de Deficientes do Recanto das Emas. A entidade está em processo de formação. Quando estiver oficialmente em operação, prestará assistência às pessoas com deficiência da região.

 

Nos dois compromissos, o secretário da Pessoa com Deficiência prestou contas sobre o trabalho da Secretaria. “Nós estivemos lá fortalecendo a ideia de se ter entidades representativas dentro da cidade, como uma forma de fortalecer as pessoas com deficiência”, explica.

 

O gestor também colocou a SEPD à disposição do grupo e prometeu uma futura visita às regiões administrativas, “com alguns atendimentos e dar algumas orientações sobre os serviços da secretaria e os direitos da pessoa com deficiência”. O trabalho deve ser repetido em outras associações de representação.

 

“A ideia é que possamos estar nos aproximando mais das entidades para dar a ela o suporte necessário naquilo que elas precisem em nível de governo”, declara o chefe da SEPD.

 

Trabalho para a comunidade

 

Flávio Santos assegura que a Estação da 112 Sul oferece diversos atendimentos para a pessoa que procure individualmente por serviços.

 

“Temos a Central de Interprete de Libras [CIL], Passe Livre, teremos o Centro de Atendimento, o posto de empregabilidade da pessoa com deficiência, posto de atendimento da TCB, das vans”, enumera.

 

Para o secretário, as parcerias institucionais são importantes “para que a política chegue de uma forma mais direta e mais efetiva a esse grupo”.