Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/06/21 às 14h37 - Atualizado em 18/06/21 às 14h41

Dia do Orgulho Autista: Secretaria da Pessoa com Deficiência celebra as conquistas do segmento

COMPARTILHAR

Chefe da SEPD garante que a pasta está empenhada em garantir políticas de inclusão para autistas

 

Desde o ano de 2005, o dia 18 de junho tem um significado especial para as pessoas com o Transtorno do Espectro do Autismo. A data marca o Dia do Orgulho Autista, que celebra as conquistas e os direitos dessa população.

 

O Dia do Orgulho Autista foi comemorado pela primeira vez nos Estados Unidos, por iniciativa do grupo americano Aspies for Freedom. O objetivo da celebração é reconhecer o potencial das pessoas que possuem o TEA.

 

Além de conscientizar as pessoas sobre o Transtorno, o dia 18 de junho celebra a neurodiversidade, ou seja, as variações naturais no cérebro humano em relação a sociabilidade, aprendizagem, atenção, humor e outras funções cognitivas.

 

SEPD comprometida com a inclusão do segmento

 

A Secretaria da Pessoa com Deficiência do Distrito Federal atua pela inclusão das pessoas com autismo na sociedade. “O autismo é uma deficiência invisível. Não existem ‘pessoas com cara de autistas’. Um dos nossos desafios é desmistificar a existência de um estereótipo para quem tem autismo”, explica o secretário Flávio Santos.

 

Segundo o chefe da pasta, as pessoas com autismo acabam tendo sua condição posta em dúvida, por não haver uma evidência visível dessa deficiência. Com isso, muitos deles acabam tendo seus direitos negados.

 

Flávio explica que a SEPD trabalha pela implantação da Carteira da Pessoa com Deficiência. “Esse documento comprovará que o indivíduo tem autismo. A carteira, quando implementada, garantirá ao segmento o acesso pleno aos seus direitos, sem a necessidade de passar pelo constrangimento de portar uma série de laudos médicos”, garante o gestor.

]

Outra entrega para o segmento será a implantação da Central de Atendimento à Pessoa com Deficiência, que funcionará na Estação 112 Sul. “O local será um ponto de referência para que, não somente autistas, mas todas as pessoas com deficiência, tenham acesso a seus direitos de forma facilitada”, assegura.

 

O ponto também oferecerá um atendimento adaptado a pessoas com autismo, com profissionais treinados para lidar com a deficiência. “Muito em breve a Central prestará atendimento especializado para o segmento.”

 

O que é o autismo?

 

O Transtorno do Espectro do Autismo é uma condição caracterizada por padrões de comportamento repetitivos e dificuldade de interação social.

 

A deficiência caracteriza-se por dificuldades, em maior ou menor grau, na comunicação, e na interação social, além de hipersensibilidade a estímulos sensoriais como sons, por exemplo. No Brasil, não há um dado oficial que aponte o número de pessoas no espectro autista.

 

As estimativas são feitas por organizações ligadas ao tema com base nos números do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), agência do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos.

 

Lá, os dados divulgados em 2020 apontam que uma em cada 54 pessoas é diagnosticada com espectro autista. A incidência é maior no sexo masculino.

 

Censo

 

Com a população atual do Brasil estimada pelo IBGE de 213 milhões de pessoas, e usando a mesma proporção encontrada nos Estados Unidos, o número de autistas estimados no Brasil seria de 3,9 milhões de pessoas. Se usada a proporção apontada pala Organização Mundial de Saúde (OMS) em 2017, de 1 a cada 160 pessoas, o número estimado no Brasil seria de 1,3 milhão de pessoas no espectro.

 

Com informações da Agência Senado